segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Remendar laços frágeis: “Novo chefe da CIA chega a Islamabad”


8/8/2011, Kamran Yousaf, The Express Tribune, Islamabad, Paquistão
Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu


“Quando vi o fluxo contínuo de “vazamentos” na imprensa de Washington, com os militares paquistaneses e o serviço secreto do Paquistão apresentados como idiotas, escrevi que os norte-americanos davam sinais de não saber onde se metiam. Era fácil prever que pagariam caro. Bem, parece que já começaram a levar o troco. A matéria que se lê hoje no Tribune do Paquistão é hilária” (MK Bhadrakumar, Indian Punchline, Ground rules for US Taliban talks em 8/8/2011 (em inglês).

Comentário entreouvido na Vila Vudu
Decadência, meeesmo, é quando a CIA vira piada.

Ler também: Os Estados Unidos em decadência - Por Noam Chomski

ISLAMABAD. O novo agente secreto da CIA, chefe da agência em Islamabad, chegou hoje ao Paquistão, em movimento que indica nova tentativa, dos dois lados, para reparar a muito comprometida cooperação entre eles.

O novo chefe da CIA em Islamabad assume o posto poucos dias depois de seu antecessor ter partido precipitadamente do Paquistão, mês passado – aparentemente por razões de saúde – confirmou hoje um funcionário do governo do Paquistão que pediu que seu nome não fosse citado.

De fato, a partida do ex-chefe da CIA no Paquistão tem sido atribuída às suas relações “extremamente tensas” com o tenente-general Ahmed Shuja Pasha, chefe da principal agência de espiões do Paquistão, Inter-Services Intelligence Agency (ISI).

Sabe-se também que se criaram graves tensões entre o ex-chefe da CIA no Paquistão e o embaixador dos EUA Cameron Munter, sobre a campanha da CIA, utilizando aviões-robôs tripulados a distância, contra as áreas tribais do Paquistão.

O novo chefe da CIA é o terceiro, em menos de sete meses, enviado pela principal agência de espiões dos EUA ao Paquistão.

Fontes dizem que o novo chefe da CIA já fez contato com os altos oficiais da inteligência paquistanesa, inclusive com Pasha, num esforço para recompor laços gravemente comprometidos. Mas nem as autoridades paquistanesas nem a embaixada dos EUA confirmaram esses contatos.

Porta-voz da embaixada dos EUA sequer quis confirmar ou negar a chegada do novo espião-chefe da CIA, dizendo que não estava autorizado a comentar questões de inteligência.

O posto de chefe dos espiões da CIA em Islamabad é considerado das mais importantes posições do mundo.

Em dezembro do ano passado, a CIA retirou o então chefe dos espiões, Jonathan Banks, do Paquistão, depois que foi publicamente exposto, em processo movido contra ele por parentes de vítimas de ataques de aviões-robôs.

Seu sucessor, que deixou recentemente o posto, supervisionou a operação de inteligência que levou ao ataques do dia 2 de maio, por Forças Especiais dos EUA, contra Abbottabad, em que foi assassinado o líder da al-Qaeda Osama bin Laden.

De fato, ao longo dos últimos meses, suas relações com o ISI deterioraram-se. O establishment de segurança do Paquistão várias vezes manifestou graves reservas contra o que se conhece como “a rede privada da CIA”.

Depois do ataque em Abbottabad, as agências de segurança prenderam vários paquistaneses, suspeitos de trabalharem para a CIA.

“A atitude da CIA, de tirar de Islamabad seu ex-espião chefe, é medida que visa a reconstruir os laços com o ISI” – disse um oficial de segurança”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Registre seus comentários com seu nome ou apelido. Não utilize o anonimato. Não serão permitidos comentários com "links" ou que contenham o símbolo @.

Postar um comentário